Eleição da Presidência da Mesa do Senado

Rompimento da barragem de Brumadinho – por Cassinha Carvalho
05/02/2019
Aconteceu em Fevereiro
13/03/2019
Mostrar tudo

Eleição da Presidência da Mesa do Senado

E mais um ato no Espetáculo dos Horrores da nossa ominosa Política Brasileira foi encenado no Congresso Nacional, durante a eleição da Mesa Diretora do Senado.

A guerra pelo poder já era esperada, entretanto, viu-se de tudo e até mesmo o ininteligível para conquistar o poder máximo, o topo do Olimpo.

E no vale tudo no tapetão, os absurdos dessa eleição superaram todas as expectativas: 81 Senadores eleitos, produziram 82 votos.

O que é isso, minha gente!? O que aconteceu com o Senado Federal, onde tudo pode acontecer e se fazer para ganhar a presidência?

O STF aparelhado e comprometido, em um primeiro momento, declara que respeita a independência dos poderes da União e não interferiria na questão se a eleição deveria ser através do voto aberto ou secreto.

Alguns poucos dias depois, em uma decisão na calada da noite, em plena madrugada (pasmem, senhores e senhoras, às 3h45 da matina!), o Ministro Dias Tófolli decide que o voto seria sigiloso.

Tal decisão era orquestrada pelo nosso velho conhecido, de todo o povo brasileiro, aquele que responde mais a de 20 processos no STF, o Senador Renan Calheiros, que esperneou e se descabelou, proferiu palavrões como se estivesse em sua casa ou qualquer outro lugar indigno de respeito.

Para conseguir que a votação fosse secreta, assim seria possível amealhar os votos de muitos colegas que já estavam compromissados com o candidato Senador e contra o povo brasileiro, valia qualquer barbaridade.

Aquele mesmo Renan Calheiros que, há pouco tempo, se negou a receber e acatar intimação do STF para afastar-se do Congresso. Dessa vez, firmou o pé e, mais uma vez, repetiu a performance de antes: Daqui não saio, daqui ninguém me tira!

A Senadora Kátia Abreu, também com papel importante nessa alegoria fantasmagórica, surrupiou – isso mesmo, furtou – uma pasta contendo documentos da República. Essa bizarrice jamais aconteceu em toda a história do nosso Senado. A propósito, essa senhora precisa ser responsabilizada por esse crime de Lesa Majestade – contra o povo brasileiro.

Vários Senadores Cardeais, fingiram-se de mortos, calaram-se, omitiram-se frente a todo esse quadro surreal, escandaloso e imoral.

O povo brasileiro tem que ser obrigado a manter esse grupo de homens que estão ali para jogar e, diga-se de passagem, burlando as mais comezinhas regras, onde vale até para 81 Senadores, 82 votos apurados.

Quem errou? Quem votou duas vezes? De tão trágico, vira em humor negro nessa cômica vergonha nacional.

São esses senhores que decidirão pontos importantíssimos que impactam diretamente na vida de todo brasileiro.

É demonstração absoluta de incapacidade e despreparo desses eleitos que provocam a indignação da nossa gente que tem que trabalhar para carregar nas costas o Senado, pagar impostos absurdos para financiar essa gente. Só lamento!

Ao Presidente Eleito, Senador Davi Acolumbre, desejo sorte, firmeza, lucidez e bom senso. E que trabalhe com a mesma serenidade e equilíbrio que demonstrou durante toda essa infeliz performance do primeiro ato da Sessão de Posse e Eleição da Mesa Diretora do Senado.

Estamos atentos e ligados em vocês!

Cassinha Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *